2ª Timoteo - Perseverança Inabalável na Fé - Epistola de Paulo

Esboço
Introdução (1.1-4)

I - Paulo Exorta Timóteo (1.5-18)

A} - Despertar o Dom de Deus (1.5-7)
B} - Estar Disposto a Sofrer pelo Evangelho (1.8-10)
C} - O Exemplo de Paulo (1.11,12)
D} - Obedecer e Defender a Verdade (1.13,14)
E} - Amigos Desleais e Leais, de Paulo, em Roma (1.15-18)
II - Requisitos do Obreiro Fiel (2.1-26)
A} - Ser Forte na Graça de Deus (2.1)
B} - Confiar o Evangelho a Homens Fiéis (2.2)
C} - Suportar Sofrimentos (2.3-7)
1. Como Bom Soldado (2.3,4)
2. Como Atleta Disciplinado (2.5)
3. Como Agricultor Laborioso (2.6,7)
D} - Morrer com Jesus Cristo e Sofrer por Ele (2.8-13)
E} - Evitar Discussões Inúteis e Defender o Evangelho de Modo Cabal (2.14-26)

III - A Iminência do Surto Final da Maldade (3.1-9)

IV - Perseverança na Verdade (3.10-17)

A} - Aprendida de Paulo (3.10-14)
B} - Aprendida das Escrituras (3.15-17)
V - Pregar a Palavra (4.1-5)

VI - Testemunho e Instruções de Paulo (4.6-18)

A} - Testemunho de Despedida de Paulo (4.6-8)
B} - Instrução Pessoal a Timóteo (4.9-13)
C} - Advertência a Timóteo (4.14,15)
D} - A Certeza da Fidelidade de Deus (4.16-18)
Conclusão (4.19-22)

Autor: Paulo
Tema: Perseverança Inabalável na Fé
Data: Cerca de 67 d.C.

Considerações Preliminares


Esta é a última carta de Paulo. Ela foi escrita quando o imperador Nero procurava impedir a expansão da fé cristã em Roma, perseguindo severamente os crentes. E Paulo voltara a ser prisioneiro do imperador em Roma (1.16,17).
Estava sofrendo privações como se fosse um criminoso comum (2.9), abandonado pela maioria dos seus amigos (1.15), e tinha consciência de que o seu ministério chegara ao fim, e que sua morte se aproximava (4.6-8,18; ver introdução a 1 Timóteo para um exame mais completo da autoria e do contexto da epístola).
Paulo escreve a Timóteo como “amado filho” (1.2) e fiel cooperador (cf. Rm 16.21). Sua intimidade com Timóteo e sua confiança nele percebe-se no fato de o apóstolo mencioná-lo como seu cooperador na escrita de seis epístolas, de Timóteo haver permanecido consigo durante sua primeira prisão (Fp 1.1; Cl 1.1; Fm 1), e de lhe haver escrito duas cartas pessoais. Ante sua execução iminente, Paulo pede duas vezes a Timóteo que venha estar novamente com ele em Roma (4.9,21). Timóteo ainda residia em Éfeso quando Paulo lhe enviou esta segunda epistola (1 Tm 1.3; 2 Tm 1.18). Nesta epístola, o apóstolo envia saudações a Onesíforo que residia em Éfeso (1.16), e igualmente para o casal Áquila e Priscila (4.19).

Propósito


Sabendo Paulo que Timóteo era tímido e enfrentava adversidades no ministério, e divisando a sombria perspectiva de forte perseguição vinda de fora, contra a igreja, e da atividade nociva dos falsos mestres dentro dela, ele exorta Timóteo a defender o evangelho, a pregar a Palavra, a perseverar na tribulação e a cumprir sua missão.

Visão Panorâmica


No capítulo 1, Paulo assegura a Timóteo o seu incessante amor e orações, e exorta-o a nunca transigir na fidelidade ao evangelho, a guardar com diligência a verdade e a seguir o seu exemplo.
No capítulo 2, Paulo incumbe seu filho espiritual a preservar a fé, transmitindo suas verdades a homens fiéis que, por sua vez, ensinarão a outros (2.2). Admoesta o jovem pastor a sofrer as aflições como bom soldado (2.3), a servir a Deus com diligência e a manejar corretamente a palavra da verdade (2.15), a separar-se daqueles que se desviam da verdade apostólica (2.18-21), a manter-se puro (2.22) e a trabalhar com paciência como mestre (2.23-26).
No capítulo seguinte, Paulo declara a Timóteo que o mal e a apostasia aumentarão (3.1-9), porém, ele precisa permanecer sempre, e em tudo, leal às Escrituras (3.10-17).
No capítulo final, Paulo incumbe Timóteo de pregar a Palavra e de cumprir todos os deveres do seu ministério (4.1-5). Termina, informando a Timóteo quanto aos seus assuntos pessoais, quando ele já encarava a morte, e instando com o jovem pastor a vir logo ao seu encontro (4.6-21).

Características Especiais


Há cinco características principais nesta epístola. (1) Contém as últimas palavras escritas por Paulo antes da sua execução por ordem de Nero, em Roma, uns 35 anos depois da sua conversão a Cristo, na estrada de Damasco. (2) Contém uma das declarações mais claras, na Bíblia, a respeito da inspiração divina das Escrituras e do seu propósito (3.16,17); Paulo reafirma que as Escrituras devem ser interpretadas com exatidão pelos ministros da Palavra (2.15) e insiste que a Palavra de Deus seja confiada a homens fiéis que, por sua vez, possam ensinar a outros (2.2). (3) Do começo ao fim da carta aparecem exortações sucintas, e.g., “despertes o dom de Deus” (1.6), “não te envergonhes” (1.8), sofre pelo evangelho (1.8), “conserva o modelo das sãs palavras” (1.13), guarda a verdade (1.14), “fortifica-te na graça” (2.1), passa adiante a mensagem (2.2), sofre as aflições (2.3), sê diligente na Palavra (2.15), “evita os falatórios profanos” (2.16), “foge dos desejos da mocidade e segue a justiça” (2.22), acautela-te da apostasia que há de vir (3.1-9), permanece na verdade (3.14), “pregues a palavra” (4.2), “faze a obra de um evangelista” (4.5) e “cumpre o teu ministério” (4.5). (4) Os temas iterativos destas muitas exortações são: manter firme a fé (em Jesus Cristo e no evangelho apostólico original), guardá-la da distorção e da corrupção, opor-se aos falsos mestres e pregar o evangelho com perseverança inabalável. (5) O testemunho de despedida de Paulo é um exemplo comovedor de coragem e esperança diante do martírio sentenciado (4.6-8).

visualizar imagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário