1ª Timoteo - A Sã Doutrina e as Boas Obras - Epistola de Paulo

Esboço
Introdução (1.1-20)

I - Instruções a Respeito do Ministério Eclesiástico (2.1—4.5)

A} - A Proeminência da Oração (2.1-8)
B} - A Conduta Apropriada das Mulheres (2.9-15)
C} - Qualificações do Pastor (3.1-7)
1. Pessoais
    a. Irrepreensível (3.2)
    b. Vigilante (3.2)
    c. Sóbrio (3.2)
    d. Honesto (3.2)
     e. Hospitaleiro (3.2)
     f. Apto para Ensinar (3.2)
     g. Não Dado ao Vinho (3.3)
     h. Não Espancador (3.3)
      i. Moderado (3.3)
      j. Não Contencioso (3.3)
      k. Não Ambicioso Por Dinheiro (3.3)
      l. Não Novato na Fé (3.6)
      m. Boa Reputação Fora da Igreja (3.7)
2. Família
a. Marido de Uma Mulher (3.2)
b. Que Governe Bem Sua Própria Casa (3.4,5)
c. Que Tenha Filhos Obedientes e Respeitosos (3.4)
D} - Qualificações de Diáconos (3.8-13)
1. Pessoais
a. Digno de Respeito (3.8)
b. Sincero (3.8)
c. Não Dado ao Vinho (3.8)
d. Livre de Torpe Ganância (3.8)
e. Guarda o Ministério da Fé com a Consciência Pura (3.9)
f. Provado e Irrepreensível (3.10)
2. Família
a. Marido de Uma Mulher (3.12)
b. Mulher Piedosa e Fidedigna (3.11)
c. Governa Bem os Filhos e a Casa (3.12)
E} - Razões da Igreja Exigir de Seus Dirigentes Altas Qualificações (3.14—4.5)

II - Instruções a Respeito do Ministério de Timóteo (4.6—6.19)

A} - Sua Vida Pessoal (4.6-16)
B} - Seu Tratamento com os Membros da Igreja (5.1—6.19)
1. Homens Idosos e Jovens (5.1)
2. Mulheres Idosas e Jovens (5.2)
3. Viúvas (5.3-16)
4. Presbíteros e Candidatos ao Presbiterato (5.17-25)
5. Servos (6.1,2)
6. Falsos Mestres (6.3-10)
Parêntese: Exortação ao Próprio Timóteo (6.11-16)
7. Os Ricos (6.17-19)
Conclusão (6.20,21)

Autor: Paulo
Tema: A Sã Doutrina e as Boas Obras
Data: Cerca de 65/66 d.C.

Considerações Preliminares


1 e 2 Timóteo e Tito — comumente chamadas “epístolas pastorais” — são cartas escritas por Paulo (1.1; 2 Tm 1.1; Tt 1.1) a Timóteo (em Éfeso) e Tito (em Creta) concernente ao cuidado pastoral das igrejas. Alguns críticos questionam a autoria destas cartas por Paulo, mas a igreja primitiva corroborava sua autoria paulina. Embora haja diferenças de estilo e de vocabulário nas epístolas pastorais ao compará-las com as outras cartas de Paulo, estas diferenças podem decorrer da avançada idade de Paulo e sua solicitude pessoal com os ministérios de Timóteo e de Tito.
Paulo escreveu 1 Timóteo depois dos eventos relatados no fim de Atos a primeira prisão de Paulo em Roma (At 28) terminou, segundo parece, com a sua libertação (2 Tm 4.16,17). Posteriormente, segundo Clemente de Roma (cerca de 96 d.C.) e o Cânon Muratoriano (cerca de 190 d.C.), Paulo viajou de Roma, dirigindo-se para o oeste, até a Espanha, e ministrou a Palavra de Deus ali, como era seu desejo há longo tempo (cf. Rm 15.23,24,28).
Conforme relatam as Epístolas Pastorais, Paulo, a seguir, voltou à região do mar Egeu (especialmente Creta, Macedônia e Grécia) e aí continuou seu ministério. Durante esse período (cerca de 64,65 d.C.), Paulo comissionou Timóteo como seu representante apostólico para ministrar em Éfeso, e Tito para fazer o mesmo em Creta. Da Macedônia, Paulo escreveu sua primeira carta a Timóteo, e, pouco mais tarde, escreveu a Tito. Posteriormente, Paulo foi preso de novo em Roma, quando então escreveu uma segunda carta a Timóteo pouco antes do seu martírio em 67/68 (ver 2 Tm 4.6-8; ver também introdução a 2 Timóteo).

Propósito


Paulo teve um tríplice propósito ao escrever 1 Tm: (1) exortar o próprio Timóteo a respeito do seu ministério e da sua vida pessoal; (2) exortar Timóteo a defender a pureza do evangelho e seus santos padrões da corrupção causada por falsos mestres; e (3) dar a Timóteo instruções a respeito de vários assuntos e problemas de Éfeso.

Visão Panorâmica


Um dos cuidados principais que Paulo transmite ao seu jovem auxiliar é que Timóteo lute com denodo pela fé e refute os falsos ensinos que estavam comprometendo o poder salvífico do evangelho (1.3-7; 4.1-8; 6.3-5,20,21). Paulo também instrui Timóteo a respeito das qualificações espirituais e pessoais dos dirigentes da igreja, e oferece um quadro geral das qualidades de um obreiro candidato a futuro pastor de igreja (ver a lista detalhada das qualidades de ministros e diáconos no esboço supra).
Entre outras coisas, Paulo ensina a Timóteo sobre o relacionamento pastoral com os vários grupos dentro da igreja, como as mulheres em geral (2.9-15; 5.2), as viúvas (5.3-16), os homens mais idosos e os mais jovens (5.1), os presbíteros (5.17-25), os escravos (6.1,2), os falsos mestres (6.3-6) e os ricos (6.7-10,17-19). Paulo confia a Timóteo cinco tarefas distintas para ele cumprir (1.18-20; 3.14-16; 4.11-16; 5.21-25; 6.20-21). Nesta epístola, Paulo exprime sua afeição a Timóteo como seu convertido e filho na fé, e estabelece um elevado padrão de piedade para a vida dele e da igreja.

Características Especiais


Quatro características se projetam nesta epístola. (1) É dirigida diretamente a Timóteo como representante de Paulo na igreja de Éfeso, daí a carta ser muito pessoal e escrita com profunda emoção e sentimento. (2) Juntamente com 2ª Tm, ressalta mais do que qualquer outra epístola do NT a responsabilidade pastoral de manter o evangelho puro e livre de falsos ensinos que enfraqueçam o seu poder salvífico. (3) Enfatiza o valor supremo do evangelho, a influência demoníaca corrutora do evangelho, a santa vocação da igreja e as altas qualificações que Deus requer para os seus obreiros. (4) Fornece a orientação mais específica do NT sobre o correto relacionamento do pastor com os grupos sociais da igreja segundo a idade e sexo deles.

visualizar imagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário