1ª Corintios - Problemas da Igreja e Suas Soluções - Epistola de Paulo

Esboço
Introdução (1.1-9)

I - Tratamento dos Problemas de Que Paulo Fora Informado (1.10 — 6.20)

A} - Divisões na Igreja (1.10—4.21)
1. Quatro Facções (1.10-17)
2. Causas das Divisões (1.18—4.5)
a. Falso Conceito de Sabedoria (1.18—3.4)
b. Falso Conceito do Ministério Cristão (3.5—4.5)
3. Apelo à Reconciliação (4.6-21)
                Princípio: A igreja como o corpo de Cristo (cf. 12.12ss) não deve se dividir
                        (1.10,13)
B} - Problemas Morais na Igreja (5.1—6.20)
1. Um Problema de Incesto e Sua Disciplina Eclesial (5.1-13)
2. O Problema de Litígio Secular entre Crentes (6.1-11)
3. O Problema da Prostituição (6.12-20)
     Princípio: Quem está unido ao Senhor deve conduzir-se de modo a honrá-lo (6.17,20)

II - Respostas a Perguntas por Escrito dos Coríntios (7.1—16.9)

A} - Perguntas Acerca do Casamento (7.1-40)
1. Matrimônio e Celibato (7.1-9)
2. Deveres Cristãos no Casamento (7.10-16)
3. O Princípio do Contentamento (7.17-24)
4. Conselhos aos Solteiros (7.25-38)
5. Orientação sobre Novo Casamento (7.39,40)
     Princípio: A uns Deus dá a dádiva de um cônjuge; a outros, Ele dá a de
                    permanecer solteiro por amor ao reino de Deus (7.7,32)
B} - Perguntas sobre o Uso da Liberdade Cristã (8.1—11.1)
1. O Problema de Alimentos Oferecidos a Ídolos (8.1-13)
2. O Uso Disciplinado de Paulo, da Liberdade Cristã (9.1-27)
3. Advertência sobre a Autoconfiança Presunçosa (10.1-13)
4. A Incompatibilidade entre as Festas Idolátricas e a Mesa do Senhor (10.14-23)
5. Alguns Princípios Gerais e Conselhos Práticos (10.24—11.1)
    Princípio: Fazer tudo para a glória de Deus; nada fazer que sirva de tropeço ao próximo (10.31,32); do contrário, você pode desqualificar-se na corrida espiritual (9.24-27)
C} - Perguntas a Respeito do Culto Público (11.2—14.40)
1. A Mulher Cobrir a Cabeça na Igreja (11.2-16)
2. A Conduta na Ceia do Senhor (11.17-34)
3. Os Dons Espirituais (12.1—14.40)
     Princípio: Que tudo seja feito decentemente e com ordem (14.40)
D} - Perguntas a Respeito da Ressurreição (15.1-58)
1. P. Como Pode Alguém Dizer Que os Mortos Não Ressuscitam? (15.12)
    R. A Certeza da Ressurreição (15.1-34)
2. P. Como Ressuscitarão os Mortos?
   Que Tipo de Corpo Terão? (15.35)
    R. A Natureza do Corpo Ressurreto (15.35-37)
3. Conclusão da Pergunta (15.58)
     Princípio: Assim como Cristo ressuscitou dentre os mortos, o mesmo ocorrerá  aos que são de            Cristo, quando Ele voltar (15.22,23) 
E} - Perguntas a Respeito da Coleta para os Santos (16.1-9)
            Instruções Finais (16.10-24)

Autor: Paulo
Tema: Problemas da Igreja e Suas Soluções
Data: 55/56 d.C.

Considerações Preliminares


Corinto, uma cidade antiga da Grécia, era, em muitos aspectos, a metrópole grega de maior destaque nos tempos de Paulo. Assim como muitas das cidades prósperas do mundo de hoje, Corinto era intelectualmente arrogante, materialmente próspera e moralmente corrupta. O pecado, em todas as suas formas, grassava nessa cidade de má fama, pela sua licenciosidade.
Juntamente com Prisca e Áquila (16.19) e com sua própria equipe apostólica (At 18.5), Paulo fundou a igreja em Corinto, durante seu ministério de dezoito meses ali, na sua segunda viagem missionária (At 18.1-17). A igreja era composta dalguns judeus, sendo sua maioria constituída de gentios convertidos do paganismo. Depois da partida de Paulo de Corinto, surgiram vários problemas na jovem igreja, que requereram sua autoridade e doutrina apostólica, por carta e visitas pessoais.
A primeira epístola aos Coríntios foi escrita durante seu ministério de três anos em Éfeso (At 20.31), na sua terceira viagem missionária (At 18.23—21.16). Paulo soube em Éfeso dos problemas de Corinto (1.11); depois, uma delegação da congregação em Corinto (16.17) entregou uma carta a Paulo, em que lhe pediam instruções sobre vários assuntos (7.1; cf. 8.1; 12.1; 16.1). Paulo escreveu esta epístola tendo em vista os informes ouvidos e a correspondência recebida daquela igreja.

Propósito


Paulo tinha dois motivos principais ao escrever esta epístola: (1) Tratar dos sérios problemas da igreja de Corinto, de que fora informado. Eram pecados que os coríntios não levavam muito a sério, mas que Paulo sabia serem graves. (2) Aconselhar e doutrinar sobre variados assuntos que os coríntios lhe encaminharam por escrito. Isso incluía assuntos doutrinários e de conduta e pureza, tanto individual, como da congregação.

Visão Panorâmica


Esta epístola trata dos problemas que uma igreja experimenta quando seus membros continuam “carnais” (3.1-3) e não se separam de uma vez, dos incrédulos a seu redor (2 Co 6.17). São problemas tipo espírito de divisão (1.10-13; 11.17-22), tolerância de pecado tipo incesto (5.1-13), imoralidade sexual em geral (6.12-20), ação judicial entre os cristãos (6.1-11), idéias humanistas a respeito da verdade apostólica (15) e conflitos a respeito da “liberdade cristã” (8;10). Paulo também instrui os coríntios a respeito do celibato e do casamento (7), o culto público, inclusive a Ceia do Senhor (11—14) e a oferta para os santos de Jerusalém (16.1-4).
Entre os ensinos mais importantes de Paulo em 1 Coríntios, está o das manifestações e dons do Espírito Santo nos cultos da igreja (12—14). O ensino desses capítulos é o mais rico do NT sobre a natureza e o conteúdo da adoração na igreja primitiva (14.26-33). Paulo mostra que o propósito de Deus para a igreja inclui uma rica variedade de dons do Espírito através de crentes fiéis (12.4-10) e de pessoas chamadas para exercer certos ministérios (12.28-30) — uma diversidade dentro da unidade, comparável às múltiplas funções do corpo humano (12.12-27). No da operação dos dons espirituais na congregação, Paulo faz uma distinção essencial entre a edificação individual e a coletiva como assembléia (14.2-6,12,16-19,26), e reitera que todas as manifestações públicas dos dons devem brotar do amor (13) e existirem para a edificação de todos os crentes (12.7; 14.4-6,26).

Características Especiais


Cinco características especiais vemos em 1 Coríntios. (1) De todo o NT, é a epístola que mais trata de problemas. Ao tratar dos vários problemas e assuntos de Corinto, Paulo apresenta princípios espirituais claros e permanentes, sendo cada um deles universalmente aplicáveis à igreja (e.g. 1.10; 6.17,20; 7.7; 9.24-27; 10.31,32; 14.1-10; 15.22,23). (2) Há um destaque geral sobre a unidade da igreja local como corpo de Cristo, destaque este no ensino sobre divisões, Ceia do Senhor e dons espirituais. (3) Esta epístola contém o mais amplo ensino do NT em assuntos de grande importância como o celibato, o casamento e novo casamento (7); a Ceia do Senhor (10.16-21; 11.17-34); línguas, profecias e dons espirituais durante o culto (12,14); o amor cristão (13); e a ressurreição do corpo (15). (4) A epístola é de valor incalculável para o ministério pastoral, no tocante à disciplina eclesiástica (cap. 5). (5) Salienta a possibilidade indubitável de decair da fé, aqueles que persistem numa conduta ímpia e que não têm firmeza em Cristo (6.9,10; 9.24-27; 10.5-12,20,21; 15.1-2)

visualizar imagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário